BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Ruas escuras


Ae Galera ae baixo está o meu conto q foi publicado no zine Adorável Noite(o endereço para baixar está na postagem anterior)

RUAS ESCURAS
Era uma noite fria de inverno. Eu caminhava sozinho por uma rua escura,suja e úmida no centro da cidade.Jamais tinha passado por ali antes,e não faço a mínima idéia de como fui parar naquele lugar.Não sei se bebi demais, se me perdi ou se fui levado até ali,não lembro de absolutamente nada apenas que eu já estava lá quando tudo aconteceu.Aquele lugar era horrível,nunca tinha estado em local pior.Bêbados no chão,traficantes,prostitutas, e toda a espécie de pessoas se encontrava ali.Ratos corriam pelo chão e entravam dentro dos bares como se isso fosse algo normal.Mas, a palavra normal não se aplicaria ali.

Continuei andando e encontrei duas prostituas em uma esquina. Nossa!Que mulheres lindas!Você poderia imaginar que elas eram qualquer coisa menos prostitutas. Uma era loira,bem branca,parecia neve,olhos verdes que brilhavam como duas lâmpadas na noite.Um belo corpo,seios fartos por trás de um espartilho de couro vermelho e um par de pernas maravilhoso envolvido apenas por uma pequena mini-saia.A outra era tão bela quanto a loira.Era ruiva,um pouco mais baixa,mas igualmente branca,na hora que as vi pensei que fosse por causa da luminosidade fraca ou que elas eram usuárias de drogas.Mas,fiquei com a imagem daquelas mulheres marcada na minha cabeça naquela noite.

Perguntei a elas onde eu estava e sensualmente a loira me disse:
-Onde você está não me importa, agora, quer saber a gente pode te levar?
Uma oferta dessas não aparece para qualquer um todo dia. Pensei um pouco,mas eu estava com pouco dinheiro e não sabia se iria precisar depois,então recusei e me afastei.

Andei alguns metros e tomei um susto ao senti-las segurando meus braços. Não sei como elas chegaram tão rápido até mim!Moveram-se tão rápido que tive a impressão de que elas tinham deslizado até ali.

-Ah, você não vai recusar um convite como esse não é amor?-Me disse a ruiva enquanto metia a mão dentro da minha calça...

-Moças, eu até queria, mas não tenho dinheiro para pagar!Eu não sei nem onde eu estou!

-Ah, relaxe!Gostamos de você, não é toda noite que aparece “carne nova” por aqui!

Elas estavam me deixando louco!Eu sentia aquelas corpos frios junto ao meu, suas mão gélidas passarem por todo meu corpo e a respiração ofegante das duas no meu pescoço. Eu tentava me livrar,tentava resistir,mas eu não conseguia,jamais tinha sentido aquilo antes.Parecia que elas estavam adivinhando meus pensamentos,meus desejos,meus medos...

De repente, no meio de todas aquelas caricias que elas me faziam fui jogado em um beco sem saída. Encostado na parede,sem ter para onde fugir vi aquelas duas moças tão lindas se transformarem.Seus olhos ficaram vermelhos,e seus dentes estavam pontudos como laminas afiadas.Eu gritei,mas logo meu grito foi abafado por uma mão gélida de um ser que antes era uma ruiva muito bonita.Ela me segurava apenas com os braços e parecia não fazer força nenhuma enquanto eu,me debatia como um animal preso e tentava gritar pedindo ajuda.

E quando eu vi que não teria escapatória, tudo ficou em silêncio. Meu corpo ficava cada vez mais fraco e eu sentia as minhas forças indo embora.Os dentes da loira penetravam no meu pescoço vagarosamente e o sangue escorria por aqueles lábios enquanto a ruiva mordia meu pulso.Eu sentia frio,calor,porém, toda a dor e agonia que senti antes se tornaram um prazer macabro,eu ria enquanto elas se banqueteavam com meu sangue pingando em suas bocas famintas.

Da mesma forma como fui jogado contra a parede, fui largado no chão. Fraco,confuso,atormentado.Não entendia nada do que acontecia ali.E também não lembro de muita coisa que aconteceu antes na minha vida.Mas apesar de tudo,naquela noite minha vida mudou,não sei se para melhor ou pior.

Hoje ando por essas ruas escuras, como andei naquela noite, caminhando sozinho, perdido, procurando por um caminho, me alimentando do medo de quem por ali passa. Um demônio nem vivo,nem morto,fadado a caminhar eternamente escondido nas sombras,buscando uma luz que sei que nunca poderei ver sem me tornar um monte de cinzas.Naquela noite,morri para o mundo e nasci para a escuridão.

1 comentários:

leticia disse...

Cara eu gostei demais desse conto , principalmente na sua frase final . Ficou muito show!